Alcatel Idol 4 Pro

A Alcatel iniciou nesta semana a pré-venda do seu novo smartphone Idol 4 Pro na Europa, que roda o sistema Windows 10 Mobile, aposta não muito bem-sucedida da Microsoft no segmento móvel.

O anúncio chama a atenção porque acontece logo após a Microsoft encerrar o suporte oficial para o Windows Phone 8.1, versão anterior do sistema móvel da companhia de Redmond, o que foi visto como mais um sinal de uma possível morte da plataforma Windows Phone em breve.

O novo Idol Pro 4 é basicamente uma versão melhorada de outro aparelho da Alcatel, o Idol 4S, que foi lançado no ano passado. As suas especificações incluem tela AMOLED de 5,5 polegadas, processador Snapdragon 820, 4GB de RAM e 64GB de armazenamento.

No entanto, chama a atenção o preço sugerido de 420 euros (cerca de 550 dólares), um valor relativamente alto, ainda mais para um aparelho que roda um sistema com participação muito pequena, quase nula, no mercado móvel, em comparação com os líderes Android e iOS.

Alcatel Idol 4: preço e ficha técnica

i4O Alcatel Idol 4 é um smartphone Android avançado e abrangente em todos os pontos de vista com algumas características excelentes. Tem uma grande tela de 5.2 polegadas com uma resolução de 1920×1080 pixels.

As funcionalidades oferecidas pelo Alcatel Idol 4 são muitas e inovadoras. Começando pelo LTE 4G que permite a transferência de dados e excelente navegação na internet.
Respeitável a câmera de 13 megapixels que permite ao Alcatel Idol 4 tirar fotos com uma resolução de4 128×3096 pixels e gravar vídeos em alta definição (Full HD) com uma resolução de 1920×1080 pixels. A espessura de apenas 6.9 milímetros torna o Alcatel Idol 4 um dos telefones mais finos que existem.

  • Tela IPS LCD de 5,2 polegadas com resolução Full HD (1080 x 1920 pixels)
  • Chipset Qualcomm MSM8952 Snapdragon 617 64-bit Octa-Core com clock máximo em 1,5 GHz
  • GPU Adreno 405
  • 3 GB de RAM
  • 16 GB de espaço para armazenamento interno, expansível via cartão microSD de até 200 GB
  • Câmera principal de 13 megapixels com abertura f/2.0
  • Câmera frontal de 8 megapixels com flash LED
  • Alto-falantes frontais
  • Dual-SIM
  • Compatível com redes 4G LTE
  • Sensores: acelerômetro, proximidade, bússola e giroscópio
  • Dimensões de 147 x 72.5 x 6.9 mm
  • Peso de 130 gramas
  • Bateria de 2.610 mAh
  • Sistema operacional Android 6.0.1 Marshmallow

Em torno de R$ 1.699,00.

Alcatel Flash Plus 2 com sistema de áudio Hi-Fi e preço baixo

fl2Há poucas horas, a fabricante Alcatel, que no começo do mês teve seu flagship flagrado em testes de benchmark, resolveu mostrar ao mundo seu mais novo smartphone, chamado Flash Plus 2.

O aparelho, que chega como sucessor do Flash Plus lançado ano passado, traz uma elegante traseira de metal, que por si só, já caracteriza o aparelho como sendo algo mais “premium”.

Outras configurações técnicas só reforçam a sofisticação passada pelo design; o Flash Plus 2 traz uma tela IPS de 5.5” com resolução Full HD (1920×1080), processador MediaTek Helio P10, GPU Mali T860, 2GB ou 3GB de RAM, 16GB ou 32GB de armazenamento, câmeras de 13 MP (com f/2.0, auto-foco misto e Flash LED dual tone) e 5MP (com flash LED e lentes de 84º) e uma bateria de 3.000mAh (não removível) com suporte à tecnologia de carregamento rápido.

O sistema operacional fica por contra do Android 6.0 Marshmallow, e o aparelho possui conectividade com a rede 4G. Confira um vídeo promocional a seguir:

Dois recursos que merecem destaque no Flash Plus 2 são o seu leitor biométrico (posicionado na parte traseira), capaz de reconhecer impressões digitais em até 0.5 segundos, e seu sistema de áudio Hi-Fi que traz um chip de áudio 32-Bit AKM4375 DAC e amplificador NX9890 com níveis de controle de 5 a 9 dB.

O Flash Plus 2 será oferecido nas cores prata (Luna Silver) e dourado (Venus Gold). A venda do modelo em questão está direcionada para os mercados de Monaco, Filipinas, Vietnam, Tailândia e na Malásia. Ele chegará às lojas com preço equivalente a US$160 pela versão com 2GB/16GB e US$190 pela versão com 3GB/64GB.

Daydream – Google anuncia plataforma para tentar popularizar a realidade virtual

ddO chefe da divisão de realidade virutal do Google, Clay Bavor, anunciou nesta quarta-feira, durante a conferência I/O, um novo passo para a tecnologia VR: o Daydream. Trata-se de uma plataforma que pretende popularizar a atualmente caríssima tecnologia, evoluindo a partir do Cardboard. O produto deve estar disponível a partir do outono no hemisfério norte (primavera no Brasil).

O Daydream também vai funcionar baseado em um smartphone, assim como o Cardboard. Os produtos precisarão se encaixar em uma série de requisitos de qualidade para serem aprovados Aparelhos da Samsung, HTC, LG, Xiaomi, Huawei, ZTE, Asus e Alcatel são compatíveis, segundo o Google. O Android N trará a tecnologia necessária para o passo à frente.

Existem inúmeras otimizações do Android N para a realidade virtual, com foco em baixa latência, performance e um sistema de interface do usuário para permitir que notificações apareçam sem atrapalhar. Todas estas melhorias estarão no núcleo do novo sistema do robozinho, permitindo que vários dispositivos sejam compatíveis com a realidade virutal.

A plataforma também inclui um desenho de referência para fabricantes desenvolverem seus próprios headsets, bem no estilo do Cardboard. O aparelho terá ainda um controle para interações em jogos e nos aplicativos, otimizado para a VR, com poucos botões e um direcional. Um sensor de orientação permitirá que o controle realize movimentos precisos.

Ou seja, o que o Google está lançando não é um aparelho para dominar um mercado. É algo mais inteligente, se pensarmos. O Google criou uma espécie de Android para a realidade virtual: vai oferecer as ferramentas básicas para os desenvolvedores criarem seus próprios dispositivos, com aplicativos que se integrarão e funcionarão em todas as opções.