LG G6 LG tem 5,7 polegadas, marca diz que serviços como Netflix e Amazon Prime Vídeo é sua especialidade

O aguardado smartphone LG G6 está um passo mais perto de ser lançado no Brasil. O novo celular top de linha da empresa coreana apresentado na semana passada em Barcelona, durante a Mobile World Congress já está homologado na Anatel. Agora é só uma questão de tempo para o seu lançamento oficial no país.

A tela tem 5,7 polegadas com proporções 18:9, o que a faz ser um pouco mais larga do que as tradicionais telas de 16:9 dos celulares do mercado. A distribuição, porém, torna o G6 um aparelho ideal para funções multitarefas, já que essa proporção divide a área de exibição em dois quadrados. É, inclusive, um modelo de distribuição que vem sendo adotado pela indústria de entretenimento, e a LG diz que serviços como Netflix e Amazon Prime Video estão se voltando a esse formato.

Ao contrário do que aconteceu em 2016, no entanto, a versão do G6 que o Brasil receber não deve ser mais fraca do que a edição internacional. Para quem não se lembra, o G5 chegou ao país com o “sobrenome” SE, que, na prática, significava menos memória RAM e um processador inferior, mantendo o preço de top de linha. Quando comparado a outros modelos na faixa de preço que não tiveram suas especificações reduzidas, o G5 SE acabou ficando para trás.

O que nos leva a acreditar que o mesmo erro não será repetido em 2017 é o fato de que o modelo homologado é o LG-H870, que é exatamente o mesmo aparelho que estava em exibição em Barcelona, com as mesmas configurações.

Ainda durante a MWC, houve a previsão de que o G6 seria lançado no Brasil em maio. Com a homologação, que é a última barreira legal para o celular ser distribuído no Brasil, parece que tudo está nos trilhos para o lançamento ocorrer na data prevista.

O que esperar do G6?

A lente grande angular permite capturar mais dos arredores das fotos. Com isso, ela é um pouco mais voltada para fotos de paisagens ou multidões. A outra lente, por sua vez, é mais fechada e se assemelha a uma lente tradicional. Ela acaba sendo mais adequada para retratos e para fotografar detalhes.

Na parte da frente, o aparelho vem com uma câmera de 5 MP e uma lente de ângulo um pouco mais aberto que o normal — ela tem f/2.2 e 100º. Essa mudança na lente é para fazer com que ela capture mais do espaço em torno do usuário, e facilita na hora de tirar selfies em grupo. Por outro lado, pode acabar distorcendo o rosto do usuário, caso ele tire uma selfie de perto demais.

Fora isso, o aparelho possui um processador Snapdragon 821 e 4 GB de RAM, que devem garantir uma performance bastante adequada ao aparelho. A bateria do smartphone, com 3.300 mAh, também promete uma boa duração.

A resolução dessa tela é de 2.880 por 1.440 pixels (com 564 ppi), o que faz com que ela seja levemente superior ao Quad HD de aparelhos como o Galaxy S7 Edge, da Samsung.

Outra diferença marcante está na configuração das câmeras do dispositivo. O G6 tem duas câmeras na sua parte traseira, seguindo a tendência lançada por seu antecessor (e que a Apple usou no iPhone 7 Plus). São dois sensores de 13 MP, um deles associado a uma lente normal, com abertura f/1.8 e 71º, e outro a uma lente grande angular, com f/2.4 e 125º.

 

Samsung QLED e LG OLED: compreenda as diferenças entre as tecnologias de TVs

Durante a CES 2017, que aconteceu em janeiro, Samsung e LG apresentaram suas novidades no segmento de TVs. A primeira mostrou sua nova tecnologia de telas, a QLED. Já a segunda mostrou um aprimoramento da já existente tecnologia OLED.

Ambas as tecnologias prometem travar uma batalha épica no mercado, disputando cada um dos clientes. Neste artigo iremos explicar as diferenças entre as duas tecnologias e as suas respectivas vantagens.

QLED

QLED é a sigla para Quantum Dot Light Emitting Diodes. Ela foi desenvolvida pela Samsung que apresentou a novidade na CES 2017, uma das maiores feiras de eletrônicos do mundo. A tecnologia é baseada nos famosos pontos quânticos, que são minúsculos cristais que absorvem determinadas frequências de luz e emitem outras, conforme a necessidade.

Os pontos quânticos, ou quantum dots (QD), em inglês foram usados para melhorar a qualidade das telas LCD e LED e, assim, darem sobrevida à tecnologia. Porém, nas mãos da sul-coreana Samsung, os pontos quânticos deram origem as TVs QLED.

A principal vantagem desse tipo de tela é que ela promete reproduzir 100% das variações de cores do padrão DCI-P3 em qualquer nível de luminosidade. Isso significa que você pode ajustar o brilho no máximo e, ainda assim, a TV QLED irá mostrar cores fiéis à realidade.

Além de serem capazes de reproduzir a totalidade das variações de cores, as TVs QLED possuem um brilho impressionante. Os modelos que estavam em demonstração alcançavam uma faixa de 1.500 a 2.000 nits (índice de brilho) nos picos de luminosidade. A média é de apenas 1.000 nits. Isso faz com que as TVs QLED se saiam bem em qualquer tipo de iluminação ambiente.

Outra vantagem dessa tecnologia é o seu ângulo de visão. Ela pode compensar os reflexos criados pela luz ambiente e, desta maneira, exibir uma imagem perfeita tanto se olhada de frente quanto de lado. Além disso, as telas QLED têm potencial de consumir metade da energia das OLED tradicionais e de terem um custo de produção menor.

A tecnologia QLED pôde ser vista na CES deste ano por meio dos televisores Q7, Q8 e Q9, que possuem uma tela de 65 polegadas e resolução 4K. Infelizmente, ainda não há previsão de quando essas TVs chegarão às lojas brasileiras e nem o seu preço. Mas podemos ter certeza que serão bem caras.

OLED

A tecnologia OLED (Organic Light Emitting Diodes) é um pouco mais antiga e já é utilizada até por outras fabricantes. Mas quem está investindo pesado é a LG. A grande diferença entre um display OLED de um QLED é que o primeiro não precisa de um painel adicional de LED, chamado de backlight.

Isso é possível graças aos diodos orgânicos emissores de luz, que são responsáveis por emitir e controlar sua própria luz e, por isso, não precisam do auxílio do backlight.

Com a exclusão desse item, que é obrigatório inclusive nas novíssimas TVs QLED, a LG pode fabricar televisores absurdamente finos. A série W, por exemplo, tem apenas 2,6 milímetros de espessura. O “W” vem de “wallpaper”, ou papel de parede. Daí você já tem ideia de quão fina ela é.

O televisor é projetado já para ficar preso à parede e não possui sequer um pedestal ou apoio para mesa. Ele se fixa à parede por meios de hastes com ímãs. Sua instalação se assemelha a de um quadro.

Os altos falantes também saíram. Agora o áudio das TVs OLED da LG são transmitidos por uma espécie de soundbar que fica separada do display. É nesse acessório que também ficam as diversas entradas, como HDMI e USB.

As TVs OLED, em geral, tem menos brilho e um ângulo de visão menor quando comparada com uma TV QLED. A linha W da LG não tem previsão de chegar ao Brasil e o preço também não foi divulgado ainda.

Resumindo

As TVs QLED da Samsung possuem uma qualidade de imagem melhor e mais ângulo de visão, mas são um pouco mais conservadoras no que se refere a design. Já as novas TVs OLED da LG encantam os olhos com sua espessura finíssima e design inovador. Mesmo assim, ainda é cedo para dizer qual tecnologia levará a melhor.

LG K10 2017 – Revela preço e data para início de vendas em seu país natal

A LG oferece na linha K de smartphones opções ainda mais baratas para os usuários. Os aparelhos vão desde os de entrada, como o K3, até os intermediários mais avançados, como o K10. Em dezembro de 2016 a empresa lançou uma nova geração de smartphones desta linha e agora o LG K10 2017 foi anunciado na Coreia do Sul, porém com o nome “X400”.

De acordo com o que foi revelado, o LG K10 2017 será vendido por valores entre US$ 175 e US$ 265 (R$ 546 e R$ 827 em conversão direta). Ele estará disponível na maioria das operadoras do país asiático e nada foi falado sobre sua chegada em lojas do varejo. Entretanto, é bastante provável que isso aconteça ainda no dia 15 de fevereiro, data marcada para o início das vendas.

Especificações técnicas
  • Tela de 5,3 polegadas com resolução HD (1280 x 720)
  • 2 GB de memória RAM
  • 16 GB ou 32 GB de memória para o armazenamento interno
  • Chipset MediaTek MT6750
  • Processador de oito núcleos rodando em até 1,5 GHz
  • ARM Mali-T860 MP2 como placa gráfica
  • Câmera principal de 13 megapixels
  • Câmera frontal de 5 megapixels com lente grande-angular
  • Leitor de impressões digitais embutido na parte traseira
  • Bateria de 2.800 mAh
  • Android 7.0 Nougat

Infelizmente ainda não há qualquer informação sobre a chegada de nenhum dos quatro smartphones da linha K 2017 no Brasil. Como são aparelhos lançados visando o mercado de entrada e intermediários, é provável que eles desembarquem em nosso país nos próximos meses, entretanto nada foi comentado pela LG.

LG Aristo – Com Android 7.0 Nougat e preço acessível

LG segue ampliando o seu portfólio com vários lançamentos neste início de ano. A gigante sul-coreana anuncia seu smartphone X300 em sua terra natal. O aparelho traz hardware básico, mas vem com Android Nougat de fábrica. Agora a empresa acaba de revelar outra novidade, o smartphone Aristo para o mercado norte-americano.

Este novo produto também é voltado para o mercado de entrada e não traz nada que vá deixar o consumidor surpreso. Aqui temos uma tela de 5 polegadas com resolução HD (720 x 1280 pixels), chipset Snapdragon 425 quad-core de 1,4 GHz, 1,5 GB de RAM, 16 GB de armazenamento (estando 9,8 GB disponível para o usuário) com suporte a microSD e bateria de 2.410 mAh.

Especificações:

  • Tela de 5 polegadas com resolução HD (720 x 1280 pixels)
  • Chipset Qualcomm Snapdragon 425 quad-core de 1,4 GHz com GPU Adreno 308
  • 1,5 GB de RAM
  • 16 GB de armazenamento com slot microSD
  • Câmera de 13 megapixels
  • Câmera frontal de 5 megapixels
  • Bateria de 2.410 mAh
  • Android 7.0 Nougat
  • Leitor biométrico na traseira
  • Conectividade 4G LTE com suporte às tecnologias VoLTE e Wi-Fi Calling

O LG Aristo estará disponível na operadora MetroPCS a partir do dia 23 de janeiro por US$ 59 (R$ 189 em conversão direta) – valor promocional por tempo limitado. A novidade também será lançada na operadora T-Mobile a partir de 25 de janeiro pelo valor cheio de US$ 144 (R$ 460).

Provavelmente não veremos este lançamento por aqui, mas a LG trará várias novidades da nova linha K para o Brasil nos próximos meses.

Android 7.0 Nougat – Sistema vai chegar hoje para milhares LG G5

g52Entre as principais fabricantes de smartphone no mundo, parece que a LG é a mais interessada ao trazer o novo sistema operacional da Google, o Android 7.0 Nougat, para os próprios aparelhos.

A LG deve ser a primeira a lançar um smartphone de fábrica com o sistema, o V20. Ainda, de acordo com uma postagem no site oficial, cerca de 2.000 donos de aparelhos LG G5 vão poder atualizar hoje o celular para a versão preview do Android 7.0 Nougat.

Infelizmente, a ação não serve para o LG G5 SE, que é vendido no Brasil. Ainda, ela está voltada apenas para residentes da Coreia do Sul. A atualização chega via OTA para usuários sul-coreanos inscritos no programa de Betas da LG por meio da Google Play.

A boa notícia é que, em breve, o Android 7.0 Nougat chegará globalmente aos smartphones top de linha da LG.

Philips: marca anuncia novo projetor Full HD com Android de tiro-curto

A Philips ampliou sua gama de projetores de tiro ultra-curto com o novo Screeneo 2S (HDP2550), com resolução Full HD. O equipamento pode projetar a partir de uma distância muito curta para uma superfície e mesmo assim garantir a qualidade do que será exibido.

Para ser mais preciso, é querido apenas a distância de 10 cm, o suficiente para que as imagens serem exibidas ao equivalente a 50 polegadas. Se distante 42 cm da parede, o tamanho aumenta para 120 polegadas. Ou seja, é ideal para salas e quartos, sobretudo para apartamentos.

pro3

Uma boa característica do novo projeto da Philips é a capacidade do hardware, que tem dois alto-falantes incluídos. Não é requerido o uso de uma instalação adicional.

A fonte de luz é uma lâmpada de 250W, capaz de garantir um fluxo de 2.000 lumens e uma vida de 10.000 horas. O projetor é 3D ready. Ou seja, compatível com fontes 3D sem a necessidade da utilização de óculos ou outros tipos de visores.

pro2Para gerenciar todas as operações é um processador quad-core, enquanto o sistema operacional é o Android versão 4.4. A memória interna é de 8 GB, compatível também com Wi-Fi e Bluetooth. A conectividade inclui três entradas HDMI, VGA, saída estéreo em conectores RCA, uma saída de fone de ouvido e uma porta USB. Preço e disponibilidade ainda não foram anunciados pela fabricante holandesa.

Dispositivos inteligentes para o uso doméstico fazem cada vez mais sucesso. A LG, por exemplo, anunciou recentemente três projetores para distâncias curtas com capacidade entre 80 e 100 polegadas. A Sony também apresentou o Xperia Projector, que pode melhorar as sessões de cinema feitas em casa.

LG Lança novo smartphone V20 com tela 5,7 e Android 7.0

Após inúmeras especulações, a LG apresenta seu poderoso smartphone. Ele é o primeiro smartphone com tela IPS de 5.7 polegadas e resolução 2560 x 1400 pixels e também com Android 7.0 nougat. É uma grande novidade no mercado.

O V20 traz um processador Snapdragon 820, 4GB de RAM e 64GB de espaço para armazenamento (expansível para 2TB via microSD), além de contar com uma bateria removível de 3.200 mAh e suporte para o recurso QuickCharge 3.0 de recarga rápida.

Assim como o V10, o novo V20 traz uma segunda tela sempre ligada que fica logo abaixo do display principal, mostrando notificações, atalhos e outros elementos quando o seu aparelho está em modo stand-by, por exemplo.

Resultado de imagem para lg v20

Esse novo smartphone ainda conta com uma câmera traseira de 16MP e abertura f/1.8 e uma frontal de 8MP e abertura f/2.4. Para quem quer fazer vídeos, como YouTubers de plantão, o V20 traz bons recursos, como o Steady Record 2.0, uma coleção de técnicas que suavizam o vídeo gravado com uma mão mais trêmula, e a tecnologia EIS (electronic image stabilization), da Qualcomm, que também melhora a estabilização das imagens feitas com a câmera frontal.

O V20 também se destaca na parte de áudio, sendo o primeiro smartphone a trazer um quad DAC de 32-bit, o que deve fazer com que tudo soe muito bem, e conta com suporte para diversos formatos como FLAC, DSD, AIFF e ALAC.

 

Resultado de imagem para lg v20

Veja suas especificações técnicas:

  • Tela IPS de 5,7 polegadas com resolução Quad HD (2560 x 1440 pixels)
  • Tela secundária para o controle de atalhos e assinaturas (brilho de 68 nits)
  • 4 GB de RAM
  • 64 GB de memória para o armazenamento interno
  • Entrada para cartão microSD
  • Chipset Qualcomm Snapdragon 820
  • Processador de quatro núcleos Kryo rodando em até 2,2 GHz
  • Adreno 530 como placa gráfica
  • Câmera principal de 16 megapixels (estabilização óptica de imagem + autofoco automático)
  • Câmera principal de 8 megapixels (foco fixo + 135 graus de abrangência)
  • Câmera frontal de 5 megapixels (abertura de f/1.9)
  • Quatro DACs para a reprodução sonora
  • Leitor de impressões digitais embutido no painel posterior
  • Suporte às redes 4G LTE
  • Bateria de 3.200 mAh
  • Android Nougat como sistema operacional, modificado pela própria LG.

 

De acordo com a LG, o V20 está disponível em três cores, titânio, prata e rosa, e será lançado na Coreia do Sul, sua terra natal, ainda neste mês de setembro.Não sabemos quando ele estará disponível nas lojas brasileiras e também qual será o seu preço.

Módulo LG Hi-Fi Plus with B&O Play – Review e preço

mod3O LG G5 SE inovou o mercado de smartphones ao trazer módulos para complementar a experiência do usuário. Um deles é o LG Hi-Fi Plus with B&O Play. O acessório é um DAC (conversor digital análogico) criado pela LG, em parceria com a Bang & Olufsen, e que promete um som de alta fidelidade no aparelho.

O Hi-Fi Plus é um pouco maior que a peça já presente no G5 SE. Isso não é ruim. Por ele ser da cor preta, achei que deu um charme a mais no smartphone. Ele também precisa da bateria para funcionar no aparelho. O módulo possui uma porta Hi-Fi de 3.5mm, entrada USB Tipo-C, microfone integrado e antena embutida.

O módulo também acompanha um cabo com duas pontas USB – uma do Tipo-B e outra Tipo-C. Como o Hi-Fi Plus também carregar o telefone, não seria difícil deixá-lo sempre no aparelho para ter uma melhor qualidade de áudio. Até porque, o encaixe inferior que já vem no G5 SE na caixa não tem outra utilidade a não ser um depósito para a bateria.

Para entender sobre como a experiência é diferente com o Hi-Fi Plus, ele é um acessório que suporta áudio em 32-bit Hi-Fi DAC. O portátil tem ainda um playback de áudio 32-bit 384 KHz de alta definição. Lógico, fones de ouvido adequados são necessários para garantir uma qualidade boa do áudio. Como exemplo, vou pedir que vocês escutem um pequeno trecho deste vídeo (podem rir do gosto musical) – a partir dos 55 segundos até 1’15”. Basta ouvir duas vezes – uma com fone e outra sem fone de ouvido.

mod2Sem fone de ouvido e a gente se esforçando um pouco, é possível perceber que o áudio faz uma rotação nesse trecho. Começa do nosso lado esquerdo e termina no direito. Só com o módulo Hi-Fi acoplado no G5 SE já dá para distinguir esse movimento sem problema algum.

E isso só melhora quando se usa um fone de ouvido adequado. A LG nos emprestou o H3, fone de ouvido intra-auricular da B&O Play e que serve como complemento do Hi-Fi Plus. O acessório encaixa muito bem no ouvido. Particularmente não gosto de fone intra-auricular, mas o design dele não o deixa escorregar e você não precisa ajeitar o tempo todo para não cair do ouvido.

Quando você usa o módulo com um fone compatível, há uma imersão na música que você ouve. É possível identificar os instrumentos e vozes com maior clareza. Até quem não é audiófilo consegue sentir como as faixas foram equilibradas, as nuances delas. E sem a necessidade de deixar o volume alto.

Mas isso acontece melhor em ambientes mais vazios. Em um ônibus, metrô ou qualquer outro modal que você usa até o trabalho ou escola, o barulho externo irá atrapalhar um pouco essa experiência.

Módulo é compatível com outros dispositivos:

mod4O legal do Hi-Fi Plus é que ele pode ser usado em aparelhos de outras marcas. No G5 SE, quando conectado com o fone de ouvido H3, uma janela de configuração é aberta. Não há muito o que fazer ali, só equilibrar o balanço das saídas esquerda e direita, além do volume.

Em smartphones concorrentes, o módulo é usado através do cabo com as pontas USB. Basta plugar o fone no Hi-Fi Plus. O mesmo pode ser feito no PC. Aqui eu usei o cabo do carregador do G5. No manual de instruções a LG fala da instalação de um driver, mas no meu notebook funcionou normalmente. Até o ajuste do balanço eu consegui fazer sem precisar de um aplicativo extra.

E a conclusão é…

O Hi-Fi Plus é um módulo realmente funcional. Para se ter uma ideia, gosto de escutar música e jogar no celular ao mesmo tempo. Várias vezes senti minhas mãos dormentes por conta da potência que o acessório entrega e achei isso massa. Não me pergunte o motivo de gostar disso.

Por mais que o módulo funcione em outros dispositivos e em PCs, ele parece ter um público específico: os verdadeiros viciados em música. Uma pessoa que não se preocupa com a qualidade de uma faixa baixada no smartphone não vai olhar para o Hi-Fi Plus como uma mina de ouro.

Outro problema é o preço. O Hi-Fi Plus é vendido por R$ 1.299 no site da LG. Já o fone de ouvido H3 custa R$ 1.399. É quase um G5 SE se for somar o preço. A ideia da LG de trabalhar módulos em seus smartphones é ótima, embora esteja um pouco longe de ser acessível. De cara, eu acho o Hi-Fi Plus um dos acessórios com maior potencial da família Friends. Só espero que ele não seja injustiçado.

Prós

  • Compatibilidade com outros dispositivos
  • Compacto e fácil de usar
  • Entrega áudio Hi-Fi

Contra

  • Preço não é acessível

LG G5 SE Special Edition: detalhes do hardware, câmera e design

G5

O novo LG G5 SE (Special Edition) é a aposta da LG para o mercado topo de linha que deu as caras no Brasil. Em um grande resumo, essa versão veio de certa forma “capada”, mas ainda assim não dispensa boa qualidade e excelente hardware para um topo de linha.

Hardware

De cara, há três diferenças entre o modelo lançado lá fora e o SE: a memória RAM, que vem com 3GB enquanto que o modelo comum contém 4GB; o processador Snapdragon 652 (oito cores de 1,6GHz), que vem no lugar do Snapdragon 820 (dois cores de 2,3GHz e dois de 1,6GHz); e a GPU, que é um Adreno 510 no lugar do mais moderno Adreno 530 da outra versão. Fora isso, as demais especificações são iguais. Memória interna de 32GB, tela de 5.3 polegadas IPS de 1440 x 2560 e bateria de 2.800mAh.

A bateria é algo que pode ser preocupante, mas o Android 6.0 permite um bom gerenciamento de energia nativamente. E para quem usa o celular por 12 horas corridas pode ficar tranqüilo, já que ele chega no final do dia com uma carga ainda. Já aqueles que ficam jogando, nas redes sociais, vídeos e outras atividades online podem descarregar em cerca de 7 horas corridas, algo consideravelmente fraco e que praticamente exige uma carga a mais ao longo do dia.

Foi feito testes de estresse com o aparelho, rodando jogos e vários apps ao mesmo tempo, e ele segurou bem o desempenho. Jogos mais modernos como Mortal Kombat X mesmo ainda tiveram alguns engasgos neste caso, mas nada extremo que não fosse passível.

Design

O design dele é bastante similar aos modelos G passados, mas com um ar “premium” por conta do visual metálico. Há um sensor de impressão digital no botão traseiro de Ligar/Desligar/Descansar, ele adota o padrão USB-C para maior conforto do usuário (nada mais de errar na hora de inserir o contector), e há uma bateria semi-modular que pode ser retirada com um pequeno desencaixe na parte inferior.

 

Câmera

cg5-cg5A melhor parte de longe do G5 SE é sua câmera. São duas câmeras traseiras, sendo uma comum e uma grande-angular de 16MP e abertura de f/1.8, e uma frontal de 8MP com abertura de f/2.0. É possível gravar vídeos em 1080p em 30fps na frontal e 2160 em 30fps na traseira. Talvez seu único pecado seja o foco, que por algum motivo durante os testes não se adaptava muito bem aos comandos e às vezes era extremamente lento.

Para quem curte catucar com o software da câmera, ela contém um modo manual para alterar a exposição, ISO, balanço de cor, modo de imagem, entre outras várias opções de edição diretamente no app, como o modo de tirar foto usando as três câmeras ao mesmo tempo (exemplo acima).

Nota: as fotos foram editadas e não condizem com a resolução real da imagem publicada.

Veredicto

Com o preço da concorrência quase na faixa dos R$4 mil, o preço sugerido de R$3.499 (sem contar possibilidade de descontos) para o G5 SE soa interessante, mas para os mais atentos soa como mais caro já que os concorrentes contém um hardware bem superior. O aparelho é bonito, tem boa capacidade e vai garantir excelentes fotos. Não é preciso se deixar levar que ele é uma versão mais fraca do G5 comum, ele dá conta do serviço fácil no final das contas.

O único porém fica pela bateria. A proposta é que a bateria modular é fácil de tirar, e realmente é, mas não há carga reserva para haver essa troca de bateria enquanto o aparelho fica ligado. No caso, não há inovação nesse quesito, é uma simples troca de bateria como já se fazia antes nos celulares.

Prós:

  • Câmera de alta qualidade
  • Android 6.0
  • USB-C

Contras:

  • A bateria semi-modular é nada além de uma bateria fácil de tirar
  • O foco não funciona muito bem
  • O preço poderia ser melhor

Android – Dicas para aproveitar todos os recursos do sistema operacional

O Android é o sistema operacional para celulares que mais oferece recursos aos usuários. A plataforma não apresenta tantas exigências quanto o iOS e conta com mais aplicativos que o Windows Phone. Além disso, o sistema está presente na maioria dos smartphones e tablets disponíveis no mercado, desde os modelos mais simples até os topos de linha.

Alguns recursos do Android, no entanto, podem estar em locais diferentes por conta das modificações feitas pelas fabricantes. Empresa como Samsung e LG fazem alterações para adequar o sistema a recursos exclusivos. Poucos smartphones se propõem a oferecer o Android com poucas modificações.

Os celulares da linha Moto, da Motorola/Lenovo contam com poucas mudanças em relação ao sistema original. Entretanto, o Nexus é o único modelo que realmente possui o Android puro, sem modificações. Confira uma lista com recursos pouco conhecidos que permitem utilizar todo o potencial do sistema do Google.

Compartilhe uma localização no Google Maps

Ao procurar um endereço no computador, o usuário pode enviar as informações para o smartphone. Assim, não há a necessidade de digitar tudo novamente no celular. Para utilizar o recurso, basta pesquisar um local no Google Maps e procurar pela opção “Enviar para o smartphone” na barra lateral.

Em seguida, é possível enviar os dados para o aplicativo presente em um dos números já cadastrados na sua conta do Google. O celular exibirá uma notificação com o endereço pesquisado. Outra opção é enviar a localização por e-mail ou mensagem de texto para dispositivos conectados.

Crie lembretes com o Google Now

lemParte do Google Now, assistente virtual para Android, o recurso é uma boa opção para quem deseja se organizar. Por meio de pesquisas simples, o usuário pode criar lembretes para serem exibidos em um determinado horário ou local.

Para criar um lembrete, faça uma pesquisa como “lembre-me de ir ao supermercado na segunda, às 3 da tarde”. O Google exibirá, então, uma tela com os dados informados. A página também permite definir se o lembrete deverá se repetir. O celular exibirá uma notificação no dia ou no local especificados.

O Google Now ajuda o usuário em diversos momentos. O serviço consegue exibir rotas para locais conhecidos, realizar cálculos rápidos, informar a previsão do tempo e realizar comandos básicos. O assistente consegue para ligar ou enviar mensagens SMS para um contato. Também é possível “Mandar um e-mail” se a conta do destinatário tenha sido salva anteriormente.

A ferramenta permite ainda iniciar aplicativos com comandos semelhantes como “Abrir Facebook” ou acessar uma página na web com “Vá para o site ig.com.br”. Para habilitar o assistente, basta dizer “Ok Google” ou tocar sobre o microfone na barra de pesquisa do smartphone ou tablet e dizer o comando desejado.

Habilite o modo visitante

O Android consegue bloquear o acesso a informações pessoais quando outra pessoa utiliza seu smartphone. O modo visitante impede que seus amigos visualizem seus arquivos e aplicativos sem apagar as informações armazenadas.

Para criar um usuário para outra pessoa, abra a área de configurações rápidas puxando a barra superior para baixo e clique  sobre o ícone do usuário no canto superior direito

A tela exibirá a opção de adicionar um usuário permanente ou um convidado. Ao escolher a segunda opção, o usuário mantém o smartphone com definições de fábrica.

Encontre um smartphone perdido

O Android utiliza geolocalização para informar a posição do smartphone. Pesquise “encontre meu telefone” no Google para ter acesso à área Minha Conta. A ferramenta utiliza sua conta no Google para se comunicar com o smartphone. Além de exibir a posição do dispositivo em um mapa, o recurso consegue bloquear o celular e mostrar uma mensagem para quem o encontrar.

Outra opção é fazer o celular tocar no volume máximo se o smartphone estiver próximo e você esqueceu onde o deixou. Em casos mais extremos, é possível sair da conta registrada no celular para evitar que outra pessoa tenha acesso às suas informações. Dispositivos com iOS e Windows Phone possuem recursos semelhantes.

Sincronize o histórico do Chrome

Os aplicativos desenvolvidos pelo Google conseguem se desenvolver bem entre o smartphone e o computador. O Chrome, por exemplo, permite ao usuário acessar seu histórico de navegação em qualquer dispositivo. O recurso é útil para quem pesquisa sobre um determinado assunto no smartphone e deseja continuar a leitura no computador, por exemplo.

Para visualizar o histórico de outros dispositivos no smartphone, basta abrir o menu de configurações do Chrome – o ícone com três pontos verticais no canto superior direito – e selecionar a opção “Guias Recentes”. Em computadores, as últimas páginas podem ser acessadas no menu de configurações. As informações são exibidas após selecionar a opção “Histórico”. As informações, no entanto, só podem ser compartilhadas se o usuário estiver conectado à mesma conta do Google em todos os aparelhos.

rotTransformar o celular em roteador

O sistema operacional também pode ser utilizado para distribuir internet para outros aparelhos. Para usar um dispositivo Android como roteador, acesse as Configurações – o ícone da engrenagem na lista de aplicativos. Em seguida, escolha o menu Mais e selecione a opção Roteador Wi-Fi.

A página exibirá todas as opções que podem ser habilitadas. Como as redes Wi-Fi podem ser encontradas por qualquer dispositivo, o Android solicita um nome e uma senha para a conexão para proporcionar mais segurança para o usuário.

Veja a tela do computador pelo celular

Aplicativos como Pushbullet e AirDroid permitem visualizar a tela do smartphone no computador. Ao sincronizar o aplicativo com o computador, o usuário pode acessar mensagens, contatos e transferir arquivos sem a necessidade de usar cabos.

O contrário também pode ser feito por meio do Chrome Remote Desktop. Ao baixar o aplicativo na Play Store e a extensão na Chrome Web Store, o usuário pode visualizar à distância a tela de qualquer computador registrado.