Saiba como transmitir fotos, vídeos e músicas do celular para Smart TVs Samsung

Samsung possui um aplicativo para Android e iOS que permite ao usuário transmitir fotos, vídeos e músicas do celular para Smart TVs da marca. O recurso é interessante para quem quer exibir as fotos e vídeos de uma viagem para outras pessoas em uma tela grande ou reproduzir músicas no som da TV durante uma festa, por exemplo.

Confira nosso tutorial e saiba como instalar e usar o app Smart View para transmitir fotos, vídeos e músicas do celular para uma smart TV da Samsung. As imagens foram feitas em um iPhone, mas as dicas também valem para aparelhos com o sistema do Google.

1. Abra a loja de apps do seu celular e procure pelo “Samsung Smart View”. Agora, instale e abra o aplicativo;

2. Em sua smart TV, uma solicitação de acesso será exibida. Pressione ‘Perm.’ para permitir que o seu celular se conecte à sua TV. Caso isso não aconteça, certifique-se de que ambos os dispositivos estejam conectados à mesma rede Wi-Fi;

3. Na primeira vez que o app for iniciado, ele pedirá permissão para acessar as suas fotos e músicas, que podem ser exibidas na TV. Toque em ‘OK’ para permitir;

4. Em seguida, o aplicativo pedirá permissão para exibir notificações. Após realizar a configuração inicial do app, basta tocar sobre a foto ou vídeo que você quer visualizar na TV;

5. Para reproduzir uma música, acesse a aba ‘A Minha Música’ e toque sobre a música desejada. Ela imediatamente começará a ser executada no player da TV.

Pronto! Com essas dicas, você poderá usar o app Smart View para exibir vídeos e fotos e reproduzir músicas do celular em sua smart TV da Samsung.

Samsung – Saiba como desativar apps instalados de fábrica no smartphone

Os smartphones da Samsung costumam vir com vários apps instalados de fábrica, e muitos deles podem ser inúteis para a maioria dos usuários. Boa parte desses programas não pode ser removida completamente do aparelho, mas a fabricante permite desativá-los. Aplicativos desativados continuam armazenados no celular, mas ocupam menos espaço e não enchem a gaveta de apps com ícones que você não acessa nunca.

A Samsung oferece pelo menos três formas de desativar um app no smartphone. Veja como realizar o procedimento no tutorial abaixo. O passo a passo foi feito em um Galaxy A5 2017 rodando Android 6.0 Marshmallow, mas tende a ser semelhante nos outros celulares da marca.

Como desativar app na tela inicial

Se o app indesejado estiver na tela inicial, mantenha o ícone pressionado para ver o menu “Desativar”. Confirme a desativação da janela pop-up que aparece.

Como desativar um app arrastando e soltando o ícone

Abra a gaveta de apps e procure pelo aplicativo que você deseja desativar. Mantenha o ícone pressionado e arraste para o topo, em “Desativar”. Em seguida, confirme sua escolha.

Como desativar app na gaveta de apps

1. Para desativar um app sem sair da lista geral de programas instalados, acesse o menu e selecione editar.

2. Toque no símbolo de “-” vermelho, no canto do ícone indesejado, e aprove a desativação do aplicativo na janela de confirmação.

Como reativar um app desativado

1. Acesse as configurações do aparelho e vá ao menu de aplicativos. Procure o app desativado na lista.

2. Na tela do app, toque em “Ativar” para tornar o programa novamente utilizável.

Não há limite para desativar ou reativar um aplicativo. O usuário pode ficar despreocupado porque sempre poderá recuperar o funcionamento de um app caso se arrependa da desativação.

Review TV Samsung C24FG70FQ

O que procura um adepto de gaming num monitor? Será a velocidade, a elevada resolução ou o visual digno de uma arcade de um salão de jogos japonês? Com o novo Samsung CFG70 poderá ter tudo isso, bem como uma qualidade de imagem fora do comum e uma versatilidade digna de um monitor profissional (roda, inclina, altura ajustável e modo pivot).

Disponível em 24 (modelo testado) e 27 polegadas, a versão mais “acessível” (entre aspas devido ao elevado preço), este é o primeiro monitor do mercado a utilizar a tecnologia Quantum Dot e estreou-se em Portugal durante a Lisboa Games Week, no stand da Samsung.

Esta tecnologia, tal como nos televisores, tem a particularidade de oferecer uma reprodução de tons mais fidedignos, ao atingir um espectro de cores 125% superior ao tradicional sRGG. Também o rácio de contraste é superior, sendo este de 3000:1, valor significativamente superior aos tradicionais 1000:1 utilizados nos ecrãs LCD com iluminação LED.

Esqueça os valores de rácio de 10.000.000:1 habitualmente publicitados nos monitores, pois esses são dinâmicos, ou seja, o brilho da imagem escurece para permitir a reprodução de pretos mais escuros. A utilização deste tipo de ecrã, bem como a necessidade de atingir este rácio de contraste tão elevado obrigou a que a construção fosse superior ao habitual, razão pela qual terá tremendas dificuldades em conseguir encontrar fugas de luz no ecrã, mesmo nos cantos.

O painel em si, apesar de ter a tecnologia Quantum Dot, é do tipo VA, o que garante uma boa qualidade de imagem, mesmo em elevados ângulos de visualização, uma particularidade importante se tivermos em conta que este CFG70 utiliza um painel curvo, uma verdadeira bandeira da Samsung. Contudo, neste caso em particular (24 polegadas), acaba por não criar o efeito sentido pelos televisores ou painéis de grandes dimensões.

Este ecrã tem ainda um baixíssimo tempo de resposta (apenas 1 ms), conta com uma taxa de refrescamento de 144Hz e é compatível com a tecnologia AMD FreeSync. Igualmente presente está um sistema de iluminação, bem como uma organização de menus simples e intuitiva, que permite a utilização de múltiplos modos de jogo, com definições pré-configuradas para cada tipo (FPS, RTS, RPG e outros).

Preço sugerido por: R$ 1166

Características:

Ecrã: 24 polegadas Curvo
Tempo de Resposta: 1 ms
Resolução Máxima: 1920 x 1080
Ligações: 2x HDMI, DisplayPort
Dimensões: 545 x 529,9 x 386,4 mm

Samsung QLED e LG OLED: compreenda as diferenças entre as tecnologias de TVs

Durante a CES 2017, que aconteceu em janeiro, Samsung e LG apresentaram suas novidades no segmento de TVs. A primeira mostrou sua nova tecnologia de telas, a QLED. Já a segunda mostrou um aprimoramento da já existente tecnologia OLED.

Ambas as tecnologias prometem travar uma batalha épica no mercado, disputando cada um dos clientes. Neste artigo iremos explicar as diferenças entre as duas tecnologias e as suas respectivas vantagens.

QLED

QLED é a sigla para Quantum Dot Light Emitting Diodes. Ela foi desenvolvida pela Samsung que apresentou a novidade na CES 2017, uma das maiores feiras de eletrônicos do mundo. A tecnologia é baseada nos famosos pontos quânticos, que são minúsculos cristais que absorvem determinadas frequências de luz e emitem outras, conforme a necessidade.

Os pontos quânticos, ou quantum dots (QD), em inglês foram usados para melhorar a qualidade das telas LCD e LED e, assim, darem sobrevida à tecnologia. Porém, nas mãos da sul-coreana Samsung, os pontos quânticos deram origem as TVs QLED.

A principal vantagem desse tipo de tela é que ela promete reproduzir 100% das variações de cores do padrão DCI-P3 em qualquer nível de luminosidade. Isso significa que você pode ajustar o brilho no máximo e, ainda assim, a TV QLED irá mostrar cores fiéis à realidade.

Além de serem capazes de reproduzir a totalidade das variações de cores, as TVs QLED possuem um brilho impressionante. Os modelos que estavam em demonstração alcançavam uma faixa de 1.500 a 2.000 nits (índice de brilho) nos picos de luminosidade. A média é de apenas 1.000 nits. Isso faz com que as TVs QLED se saiam bem em qualquer tipo de iluminação ambiente.

Outra vantagem dessa tecnologia é o seu ângulo de visão. Ela pode compensar os reflexos criados pela luz ambiente e, desta maneira, exibir uma imagem perfeita tanto se olhada de frente quanto de lado. Além disso, as telas QLED têm potencial de consumir metade da energia das OLED tradicionais e de terem um custo de produção menor.

A tecnologia QLED pôde ser vista na CES deste ano por meio dos televisores Q7, Q8 e Q9, que possuem uma tela de 65 polegadas e resolução 4K. Infelizmente, ainda não há previsão de quando essas TVs chegarão às lojas brasileiras e nem o seu preço. Mas podemos ter certeza que serão bem caras.

OLED

A tecnologia OLED (Organic Light Emitting Diodes) é um pouco mais antiga e já é utilizada até por outras fabricantes. Mas quem está investindo pesado é a LG. A grande diferença entre um display OLED de um QLED é que o primeiro não precisa de um painel adicional de LED, chamado de backlight.

Isso é possível graças aos diodos orgânicos emissores de luz, que são responsáveis por emitir e controlar sua própria luz e, por isso, não precisam do auxílio do backlight.

Com a exclusão desse item, que é obrigatório inclusive nas novíssimas TVs QLED, a LG pode fabricar televisores absurdamente finos. A série W, por exemplo, tem apenas 2,6 milímetros de espessura. O “W” vem de “wallpaper”, ou papel de parede. Daí você já tem ideia de quão fina ela é.

O televisor é projetado já para ficar preso à parede e não possui sequer um pedestal ou apoio para mesa. Ele se fixa à parede por meios de hastes com ímãs. Sua instalação se assemelha a de um quadro.

Os altos falantes também saíram. Agora o áudio das TVs OLED da LG são transmitidos por uma espécie de soundbar que fica separada do display. É nesse acessório que também ficam as diversas entradas, como HDMI e USB.

As TVs OLED, em geral, tem menos brilho e um ângulo de visão menor quando comparada com uma TV QLED. A linha W da LG não tem previsão de chegar ao Brasil e o preço também não foi divulgado ainda.

Resumindo

As TVs QLED da Samsung possuem uma qualidade de imagem melhor e mais ângulo de visão, mas são um pouco mais conservadoras no que se refere a design. Já as novas TVs OLED da LG encantam os olhos com sua espessura finíssima e design inovador. Mesmo assim, ainda é cedo para dizer qual tecnologia levará a melhor.

Samsung Galaxy S8 – Detalhes e data de lançamento

De acordo com o site especializado em tecnologia VentureBeat, o próximo smartphone top de linha da Samsung, o Galaxy S8, pode ser lançado no final de março deste ano. A publicação trouxe ainda uma foto do lançamento.

Acredita-se que o Galaxy S8 chegará às lojas em 02 versões. A primeira versão teria tela de 5,8 polegadas e a segunda tela de 6,2 polegadas. Com essas dimensões, os smartphones seriam os aparelhos da linha Galaxy S com as maiores telas produzidas. Embora alguns tenham questionado a ergonomia do S8, as características não devem gerar problemas já que existem 83% de aproveitamento da parte frontal do aparelho.

É muito provável que o lançamento conte com o sistema operacional Android Nougat, Processador Snapdragon 835 ou um similar a linha Exynos. Essas características devem torna-lo até 11% mais rápido que o Samsung Galaxy S7.

Já no caso da eficiência energia do S8, espera-se desempenho enérgico 20% superior ao de seu antecessor. A bateria seria dotada de uma capacidade de 3.500 mAh. Segundo pesquisas, a duração da bateria de smartphones é um dos aspectos mais levados em conta no momento de decisão de compra pelos consumidores.

As imagens divulgadas do S8 permitem ver também que o smartphone manteve o conector padrão de fones de ouvido. Essa era uma das maiores dúvidas, já que concorrentes como o iPhone7, estão apostando em um novo tipo de tecnologia para essa função.

A câmera frontal do novo Galaxy deve ser de 8MP e a traseira de 12MP, no entanto, acredita-se que a principal inovação seria um elaborado sistema capaz de realizar busca visual e detecção de objetos que facilitariam a vida do usuário.

A principal aposta da marca chinesa talvez esteja no novo assistente virtual chamado de Bixby. Segundo informações divulgadas, este teria um botão inédito capaz de compreender comandos bem mais complexos do que o de seus concorrentes. Vale lembrar que essa função é importante, pois todas as marcas reconhecem que o futuro do mercado de smartphones está diretamente ligado aos assistentes de inteligência artificial.

As vendas do aparelho no mercado americano devem começar no dia 21 de Abril de 2017.

Saiba como tirar print da tela do Samsung Galaxy S4 Mini

O Galaxy S4 mini, celular da Samsung lançado em 2013, assim como outros smartphones, é capaz de capturar prints da sua própria tela com uma combinação de botões. A função é prática e serve para fotografar aplicativos, jogos, menus e conversas em redes sociais, seja para guardar ou compartilhar com amigos.

Todas as imagens ficam salvas na memória do aparelho, e o processo pode ser usado a qualquer momento. Ainda não sabe capturar screenshots da tela do seu S4 Mini? Confira o guia de como tirar printscreen da tela do smartphone.

1. Para capturar uma imagem da tela do seu Galaxy S4 Mini, pressione ao mesmo tempo o botão de bloqueio (do lado direito do aparelho) e o botão de início (na parte frontal do celular), como indica a foto abaixo. Caso o processo tenha sido feio corretamente, a tela “piscará”, indicando que o print foi salvo.

2. A imagem será armazenada automaticamente no seu celular. Para acessá-la, vá até o menu principal e selecione a opção “Galeria”.

3. Entre os diversos álbuns, procure pela pasta chamada “Screenshots”.

Agora é só compartilhar e usar as imagens normalmente.

Saiba como formatar o Galaxy J5 e restaurar as configurações de fábrica

O Galaxy J5 é um smartphone da Samsung que chegou ao Brasil em agosto de 2015 e, atualmente, pode ser comprado de segunda mão por um preço baixo. Com valores entre R$ 500 e R$ 600, o celular oferece flash frontal e câmera traseira competente, além de especificações interessantes para um celular de entrada. No entanto, a pouca memória RAM pode ocasionar lentidão, principalmente quando trata-se de um telefone usado.

Se o seu J5 trava, uma alternativa é resetar o dispositivo para as configurações de fábrica. O procedimento apaga todos os dados e configurações feitas pelo usuário, deixando o telefone como novo. Veja, no passo a passo a seguir, como formatar o celular da Samsung e melhorar o seu desempenho.

 

1. Acesse as configurações do Galaxy J5 e vá até o menu “Fazer o backup e redefinir”. Em seguida, toque em “Restaurar padrão de fábrica”.

2. Na tela seguinte, verifique atentamente as informações que serão removidas do aparelho, incluindo acesso às suas contas de e-mail. Toque em “Zerar dispositivo” e, depois, em “Apagar tudo”.

3. O Galaxy J5 irá reiniciar uma vez para completar a formatação, e uma segunda vez para recuperar o funcionamento. A partir daí você já poderá configurá-lo de novo, como se fosse um celular novo tirado da caixa.

Não esqueça de fazer o backup de fotos, vídeos e músicas antes de realizar o procedimento, já que a formatação apaga a memória e só permite recuperar facilmente dados gravados na conta Google, como contatos e agenda.

Gionee lança o M2017 – Smartphone conta com bateria de 7.000 mAh e preço assustador

Os rumores já apontavam para um novo smartphone da Gionee há algum tempo, sendo que no começo de dezembro um rumor dizia que o aparelho seria lançado hoje, 27. Agora, a empresa chinesa decidiu revelar o M2017, que conta com uma incrível bateria, design único e preço alto.

O aparelho apresentado pela Gionee é dedicado para os usuários que não se importam de gastar muito dinheiro para ter um smartphone único. Seu alto preço de US$ 1 mil (R$ 3,3 mil, em conversão direta) é mais do que o cobrado por smartphones como o iPhone 7 Plus de 256 GB ou o Galaxy S7 edge de 128 GB.

Além disso, suas especificações não justificam este alto preço. Ele conta com um chipset Snapdragon 653, que é considerado intermediário, o que garante um desempenho satisfatório, porém não o melhor. Para acompanhá-lo, a Gionee incluiu 6 GB de memória RAM e 128 GB de armazenamento interno.

gio2Seu destaque fica por conta da bateria. São 7.000 mAh que podem ser traduzidos em alguns dias de autonomia com uso moderado. Ela conta com tecnologia de carregamento rápido, porém não foi revelado o tempo exato que demora para a carga ser completada. Entre as especificações técnias, o Gionee M2017 conta com:

  • Tela AMOLED de 5,7 polegadas com resolução Quad HD (1440 x 2560)
  • Chipset Snadragon 653 com oito núcleos de processamento e clock de 1,95 GHz
  • GPU Adreno 510
  • 6 GB de memória RAM
  • 128 GB de armazenamento interno
  • Duas câmeras principais de 13 megapixels
  • Câmera frontal de 8 megapixels
  • Leitor de impressões digitais
  • Bateria de 7.000 mAh
  • Android 6.0.1 Marshmallow

Não foi revelado os países nos quais a Gionee irá vender o M2017 e por conta disso é impossível dizer com certeza se ele chegará no Brasil. Porém, levando em consideração o histórico da empresa, é bastante improvável que isso aconteça em algum momento. De qualquer forma, os usuários interessados podem utilizar meios para importá-lo, sendo que neste caso as devidas taxas serão incluídas, deixando o dispositivo ainda mais caro.

Android Samsung Galaxy A7 2016

O Galaxy A7 2016 chama atenção por sua versatilidade e consegue atrair vários públicos. O intermediário da Samsung traz design elegante e configuração que se aproxima de aparelhos top de linha. Além disso, tem novos recursos como leitor de digital e suporte ao Samsung Pay. Usamos o smartphone por alguns dias e quer saber se vale a pena ter um? Confira as nossas impressões abaixo.

A versão 2016 do Galaxy A7 vem em uma caixa simples, mas organizada. Nela há o cabo USB, o carregador de tomada, fone de ouvido, manual do usuário e o aparelho. O fone de ouvido é um intra auricular. Eu, particularmente, não gosto muito. Mas é de qualidade superior a outros da Samsung.

Design:

a7-O A7 tem um design muito bonito e elegante. Há um acabamento de metal nas bordas e vidro na parte traseira e frontal do aparelho. Mesmo com Gorilla Glass 4, isso se torna uma preocupação, ainda mais para os desastrados. A pegada do aparelho é ótima, mas ele escorrega. Seja na mão ou em qualquer outra superfície. Quando falei do desastrado, o smartphone caiu da altura de um criado-mudo e trincou a tela. Deu uma dor no coração. Ainda mais que o Galaxy A7 não parece ser um smartphone feito para ser usado com uma capa protetora.

Ainda falando do corpo do aparelho. A Samsung trabalhou bem as bordas. Elas estão mais finas ao redor da tela Super AMOLED de 5.5 polegadas e resolução Full HD. Ou seja, parece que você tem um espaço maior para o conteúdo exibido nela. O bom e velho botão Home também está lá. Desta vez com leitor de impressão digital. Minha crítica aqui é, da forma como o dedo é posicionado, o recurso não consegue ler bem. Então é preciso de um pouco de habilidade na hora de inserir esse modo de desbloqueio.

Desempenho do dispositivo:

a7-2Quando falei que o A7 serve para todos os públicos, o desempenho é um dos motivos. O aparelho tem processador Exynos Octa 7580 de oito núcleos, memória RAM de 3GB e interna de 16GB. É possível usar ainda um cartão microSD de até 128GB. Mas ó dúvida cruel. Para usar o cartão é preciso abrir mão de um chip de operadora. Bandeja híbrida dá nisso!

Mesmo assim, o A7 consegue realizar diversas tarefas sem ficar travando. Você precisa deixar muitos aplicativos abertos e em segundo plano para ele engasgar. Durante os testes, era muito fácil intercalar entre YouTube, algumas redes sociais, câmera, WhatsApp, ligações, sem ele “morrer”.

A bateria também recebeu uma capacidade maior. Agora é de 3.300mAh contra 2.600mAh da edição 2015. Ela segura muito bem diversas atividades. Pode jogar, pode ver Netflix, pode usar 4G ou Wi-Fi nas redes sociais que você vai conseguir boas horas de uso. Em alguns dias, consegui usar o aparelho até o fim do expediente sem problema algum. Em dias mais calmos (mais para enviar WhatsApp ou postar fotos no Instagram), 12 horas.

No geral, o A7 tem uma autonomia boa. No começo pode parecer estranho o aparelho perder carga rápido, mas percebi um equilíbrio do gasto ao chegar entre 80% e 70%. Mesmo assim, o aparelho tem tecnologia de carregamento rápido. Dos últimos que testei nas últimas semanas, o A7 foi o que mais conseguiu carga em menos tempo. Para emergências, isso é muito bom.

Sistema operacional:

É nessa parte que pega a escolha do A7. A versão 2016 vem equipado com o Android 5.1.1 Lollipop. A atualização para o Android Marshmallow deve acontecer, mas quem sabe!? O TouchWiz da Samsung recebeu uma pequena melhora aqui. E, embora numa versão Android já “antiga”, a interface não está tão travada quanto em modelos anteriores.

Há menos aplicativos pré-instalados também. Você encontra recursos básicos e também alguns mais profissionais como o Pacote Office (se você for usar o aparelho para trabalhar, isso ajuda em muito). A Samsung também trouxe o próprio gerenciamento de aplicações e bateria. E isso é uma mão na roda.

A Samsung tá de parabéns com a câmera do A7. Ela se compara sim com smartphones top de linha. Eu já tinha comentado na análise do J5 como a fabricante melhorou o software nos últimos lançamentos. Aqui não é diferente. Você pode até conferir umas imagens na galeria abaixo:

Câmera:

a7cO Galaxy A7 tem câmera traseira de 13MP e frontal de 5MP. Nos dois sensores, algumas imagens podem dar a impressão de estarem granuladas ou até embaçadas. Percebi isso em fotos tirada à noite ou ambientes mais escuro. Usei o HDR e elas até deram uma melhorada.

Mesmo assim, o modo automático entrega fotos boas, principalmente em ambientes com muita luz. A funcionalidade não se aproxima tanto do modo manual, mas não faz feio. O modo manual é outro ponto. A gente não encontra no A7 todas as funções presentes em uma câmera profissional, mas é possível aproveitá-las para tirar uma imagem legal em um ambiente que não estamos acostumados.

Senti falta do flash na câmera frontal. Mas penso que, por conta do design e da proposta da Samsung com o A7, isso ficou de lado.

Vale a pena comprar este dispostivo?

Boa pergunta! O Galaxy A7 é um smartphone que entrega um bom desempenho alinhado a um design lindo e uma câmera que não faz feio. Não reclamo nem tanto da falta de uma versão atualizada do Android, mas o corpo frágil do aparelho é o que me deixa com o pé atrás.

Tem a questão do preço também. O A7 é um intermediário com um toque premium até nisso. Embora você já encontre o aparelho entre R$ 1.800 a R$ 2 mil em alguns sites, ele geralmente é vendido por R$ 2.200.

E vamos ser sinceros. O preço do A5 2016 chega a ser entre R$ 200 a R$ 400 mais barato que o do A7 em algumas lojas. Aqui fica a disposição de pagar essa diferença para ter uma experiência bem mais em conta. Por enquanto, ele continua na minha “wishlist” de smartphones para se ter em algum futuro!

Samsung CFG70 – Novo monitor para jogos que traz a tecnologia Quantum Dot

monSamsung vem mostrando grandes avanços recentemente. A gigante sul-coreana iniciou o processo de fabricação de chips a 10nm, o que garante que seu próximo Exynos venha com tal litografia no Galaxy S8. Agora a companhia acaba de lançar seu novo monitor para jogos que traz a tecnologia Quantum Dot estreada anteriormente em suas TVs topo de linha.

Também conhecida como tecnologia de “pontos quânticos”, a novidade conta com nanopartículas que representam de forma muito fiel cada uma das cores primárias (vermelho, verde e azul), o que permite exibir imagens com brilho muito alto, chegando aos 1.000 nits (unidade de brilho), enquanto telas convencionais oferecem algo em torno de 500 nits.

Chamado de CFG70, o novo monitor da Samsung com Quantum Dot foi revelado inicialmente na IFA 2016, mas agora finalmente chega ao mercado. Ele vem em duas versões: uma com painel de 24 polegadas e outra maior com tela de 27 polegadas – ambas curvas. A novidade apresenta 3.000:1 de contraste e escala sRGB de 125% mostrando cores muito mais vivas.

O novo monitor da Samsung também conta com suporte à tecnologia FreeSync da AMD, o que garante melhor fluidez em jogos especialmente para quem possui uma placa de vídeo potente, já que o painel tem taxa de atualização de 144 Hz. O monitor também conta com teclas programáveis para acessar atalhos em jogos.

Ainda não há qualquer informação de quando poderemos ver o novo monitor para gamers no Brasil. Se formos analisar os preços das TVs da Samsung com tecnologia de pontos quânticos vendidos por aqui, podemos esperar que o monitor CFG70 chegue por um valor acima do que encontramos em modelos tradicionais de 24 e 27 polegadas.