Aprenda a editar fotos incluindo a mesma pessoa várias vezes no Photoshop

Chromebooks são computadores feitos para trabalhar o tempo todo conectado, mas também servem para imprimir documentos offline. Notebooks com Chrome OS, porém, trabalham com impressoras de forma diferente em comparação a PCs Windows ou Mac. Isso porque o sistema do Google prioriza equipamentos cadastrados no Google Cloud Print, serviço de impressão remota da empresa que permite usar impressoras Wi-Fi à distância, conectadas à nuvem. Aprenda, então, a fazer cópias físicas de arquivos no Chromebook.

1. Antes de qualquer coisa, é preciso configurar uma impressora ao Google Cloud Print usando um computador convencional Windows ou Mac – veja como;

2. Feito isso, certifique-se de que o seu Chromebook ganhou acesso à impressora. No Chrome OS, acesse as configurações;

3. Role a página até o rodapé e acesse as configurações avançadas;

4. Gerencie seu Google Cloud Print;

5. Verifique se a impressora configurada no Passo 1 está disponível para uso;

6. Caso negativo, lembre-se que é preciso usar a mesma conta do Google no Cloud Print e no Chromebook. Se tudo estiver funcionando bem, abra um documento qualquer para testar e imprima com o comando Ctrl+P;

7. Na tela de impressão, clique em “Alterar” no destino da impressão;

8. Selecione sua impressora do Google Cloud Print e imprima o documento normalmente.

Como adotar um bom antivírus? confira aqui!

Possuir um antivírus de qualidade instalado no pc, seja ele, pago ou gratuito, é fundamental para evitar que malwares infectem a máquina e operem uma série de golpes que quase sempre causam grandes prejuízo financeiro. Os vírus podem capturar dados bancários, bloquear arquivos ou mesmo transformar a máquina em zumbi, realizando operações remotas. Recentes casos como o ataque ransomware em escala global WannaCry aumentaram a preocupação dos usuários de Windows — principal alvo de hackers — que buscam softwares de segurança. Separamos nove dicas decisivas na hora de escolher um bom antivírus.

Conversamos com Thiago Marques, pesquisador da Kaspersky, e Aloísio Marinho, engenheiro de Vendas da Trend Micro, duas empresas de antivírus, para reunir dicas importantes na hora de escolher um para o seu computador ou celular.

Laboratório no Brasil

Cultura local é uma isca para atrair vítimas. Temas tão brasileiros como FGTS, nas mãos de analistas estrangeiros, podem passar despercebidos. Especialistas voltados para a região facilmente os detectam e colocam uma bandeira vermelha. O ideal é que a empresa não conte apenas com um escritório de vendas no país, mas com um laboratório. “Ter uma pessoa que está dentro do país ajuda a fazer esse trabalho de pesquisas por novas ameças de maneira mais fácil e rápida. Quando houve o desastre com a Chapecoense, sabíamos que haveria uma avalanche de ataques relacionado a esse assunto”, diz Marques, da Kaspersky.

Marinho, da Trend Micro, lembra que a maioria das empresas de antivírus não são brasileiras. Cabe ao usuário buscas por aquelas com representatividade técnica no Brasil. “Essas empresas mantêm pesquisadores, responsáveis por descobrirem novos vírus e ameaças além de novas formas de se protegerem, em qualquer país que seja. O cibercrime assim como o crime tradicional conta com técnicas locais, tornando difícil que alguém de fora, entenda de fato essas ameaças, afirma.

Pago ou Grátis?

Quase sempre antivírus grátis são o suficiente para PCs domésticos. Os pagos, porém, oferecem recursos específicos que atendem demandas de usuários exigentes como VPNs, modo compatível com jogos e outros recursos.

“Hoje, falando das proteções básicas, como scanner de arquivos e processos ou golpe de phishing, quase todas as soluções de antivírus grátis oferecem esse tipo de proteção. Para o usuário comum isso pode ser suficiente. O grande diferencial da versão paga são os modos específicos para ransomware, proxy malicioso, VPNs, carteira de senhas e etc. Vai mais do perfil do usuário e do tipo de uso do computador”, explica Marque. Servidores necessitam de outros tipos de cuidados.

Nome Confiável

Mais importante que o valor pago pela proteção, porém, é a confiabilidade. Escolha antivírus de empresas sempre ativas em pesquisas e por dentro de todos os assuntos de segurança, vazamentos e falhas exploradas por hackers.

“O usuário precisa escolher empresas que tenham nome no mercado, que vê sempre ativa em pesquisas e todos os assuntos de segurança. Tem até antivírus falsos que se passam por verdadeiros”, diz Marques. “É muito importante que seja realizada uma etapa de pesquisa. Pesquise sobre o fornecedor de antivírus e procure fóruns em que a empresa divulgue novidades e informações”, completa Marinho. Sendo assim, é como fazer uma pesquisa pela compra de um carro, ou outro bem importante, a marca/fabricante vai definir parte do seu valor.

Software Falso

Faça uma pesquisa aprofundada e vá direto ao site do fabricante. Alguns antivírus falsos, com nomes e ícones bem parecidos, tentam se aproveitar dos internautas mais leigos. “Avaliar a empresa por trás do software é até mais importante do que saber se ele é pago ou gratuito”, explica Marques. As falsas soluções são perigosas.

Marinho aponta ainda que compartilhar suas dúvidas com a comunidade é fundamental. “Sites como o virustotal.com podem também ajudar nesta tarefa. Se a empresa que você escolheu como fornecedora está á, isso é um indicador positivo”, ensina. “Além disso, o site conta com motores de antivírus. Caso, por exemplo, seja enviado um arquivo, várias empresas de antivírus irão fazer um teste de verificação para checar se é malicioso ou não”, completa. Sendo assim, as fabricantes que se oferecem a colocar motores nesses sites, estão compartilhando suas detecções e sua inteligência com a comunidade de segurança, o que mostra a disponibilidade da empresa em colaborar com informações.

Referência de Institutos Terceiros

Sites de instituições como o av-test (www.av-test.org), av-comparatives (av-comparatives.org), entre outros, fazem a análise de softwares antivírus de vários fabricantes e dão um panorama do nível de proteção, performance e usabilidade.

“Existem relatórios mais complexos, em que se tem acesso às informações sobre desempenho, quantidade de detecção, tipos de vacinas e etc. Verificar se a empresa escolhida está bem posicionada nos resultados e relatórios é um parâmetro importante a ser observado no momento da escolha”, avalia Marinho.

Saiba como desativar a assinatura de driver no Windows 7

O Windows conta com uma proteção que impede a instalação de novos drivers que não são assinados digitalmente. Por esse motivo, o usuário pode ser impedido de instalar um driver e não conseguir usar o hardware no PC. Esse problema acontece especialmente com aparelhos que usam driver antigo, de quando o sistema operacional da Microsoft não tinha a proteção.

Se esse é o seu caso, confira as dicas e aprenda a desativar a imposição de assinatura de driver no Windows 7 de forma temporária ou definitiva. Fazendo isso, você conseguirá instalar qualquer driver sem problemas.

1. No menu Iniciar, localize o “Prompt de Comando” e clique com o botão direito do mouse sobre ele. Em seguida, no menu de contexto, clique em “Executar como administrador”;

2. Agora, clique em “Sim” para confirmar e abrir a janela do “Prompt de Comando”;

3. Por fim, basta digitar o comando a seguir e pressionar “Enter”;

bcdedit /set loadoptions DDISABLE_INTEGRITY_CHECKS

4. Outra forma de desativar a assinatura de driver é reiniciar o computador e pressionar a tecla F8. Nas opções de inicialização do Windows 7, escolha “Disable Driver Signature Enforcement” (desativar a imposição de assinatura de driver, em português).

Com essas dicas, você poderá desativar a assinatura de driver no Windows 7 e instalar hardwares antigos.

Windows 10 Update Assistant Tool: saiba como usá-lo

Microsoft oferece as atualizações do Windows por meio do Windows Update. Normalmente, basta aguardar, pois o sistema baixa e faz as atualizações quando possível automaticamente. Mas, caso isso não funcione no seu computador, e você esteja com pressa para experimentar a mais recente versão do sistema , é possível agilizar o processo usando o Windows 10 Update Assistant Tool. Caso você não tenha utilizado a ferramenta ainda, veja nesse tutorial como configurá-la para atualizar o sistema.

1. Acesse o site da Microsoft e baixe o Assistente de Atualização do Windows 10. Depois, acesse a pasta onde o arquivo foi salvo e dê dois clique para executá-lo. Autorize a execução do Assistente de Atualização do Windows 10 informando as credencias do administrador ou clicando no botão “Sim”;

2. Na primeira tela do programa, clique no botão “Atualizar agora” para que ele faça uma verificação do seu PC;

3. Se o seu computador receber “OK” em todos os itens, clique no botão “Avançar”, e aguarde até que o Assistente baixe e instale o Windows 10;

4. Quando o assistente finalizar, clique no botão “Sair” e reinicie o sistema.

Após inciciar o sistema novamente, ele já estará atualizado e pronto para usar a nova ferramenta.

Windows 10 – Saiba como comprimir arquivos e economizar espaço no HD

O Windows 10 conta com um recurso que permite compactar todos os arquivos das partições para economizar espaço no HD. A função, que vem desativada por padrão, é útil para quem precisa liberar espaço no disco rígido e não gostaria de apagar os seus arquivos pessoais.

Confira a dica e aprenda a ativar a compactação de arquivos em partições do PC. Vale lembrar que o recurso é exclusivo das unidades formatadas em NTFS, que é o padrão do sistema da Microsoft. Por isso, é provável que as partições do seu computador já estejam neste formato.

1. Abra o Windows Explorer e acesse a pasta “Este Computador”. Em seguida, clique com o botão direito do mouse sobre a partição que você quer compactar e clique em “Propriedades”;

2. Na guia “Geral”, ative a opção “Compactar este disco para economizar espaço” e pressione “OK”;

3. Mantenha a opção “Aplicar as alterações à unidade, subpastas e arquivos” e pressione “OK”;

4. Por fim, será necessário fornecer permissão de administrador para aplicar as alterações. Para isso, basta clicar em “Continuar” e, caso necessário, digitar a senha da conta de administrador do PC;

5. Aguarde até que os arquivos sejam compactados. Por se tratar de uma unidade inteira, pode ser que o processo demore algumas horas, dependendo da quantidade de pastas e arquivos armazenados.

Pronto! Com esta dica simples, você poderá ativar a compactação de arquivos em partições do Windows 10 e economizar espaço em seu HD.

Chrome guarda senhas digitadas; aprenda a exportar a lista e ver todas

Ao entrar com as credenciais de um site ou rede social no Google Chrome, o navegador dá a opção de salvar as informações para que não haja a necessidade de digitá-las novamente nos próximos acessos e “entrar direto”. No entanto, essa não é a forma mais segura de armazenar as suas senhas. Embora os dados sejam criptografados, a chave para decifrá-los é justamente a senha da sua conta de usuário do Windows— que costuma ser simples. Ou seja, na prática, qualquer aplicativo executado no computador terá acesso às senhas gravadas pelo browser.

 

Para evitar esse problema, é recomendado o uso de gerenciadores de senhas que não estejam integrados aos navegadores. O LastPass, por exemplo, um dos mais populares do mercado, já permite que seus usuários acessem as informações em computadores e celulares de forma gratuita.

Entretanto, digitar novamente todas essas informações em um gerenciador de senhas pode se tornar uma tarefa chata e demorada. O Chrome, porém, esconde uma função experimental que promete facilitar a vida dos usuários que buscam mais segurança para o armazenamento dessas credenciais.

Como acessar

1. Digite “chrome://flags” (sem as aspas) na barra de endereços e pressione “Enter”;

2. Procure por “importação e exportação de senhas”;

3. Selecione a opção “ativada” e reinicie o navegador;

4. Digite “chrome://settings/passwords” (sem as aspas) na barra de endereços e pressione “Enter”;

5. Clique no botão “exportar” para baixar o arquivo no seu computador.

O arquivo gerado ao final do processo, no formato CSV (Excel), poderá ser enviado para grande parte dos gerenciadores de senhas. É importante ressaltar que, se houver a utilização de senhas iguais para serviços diferentes, você deve aproveitar para atualizá-las. Embora garanta o armazenamento seguro, usar senhas iguais ainda pode comprometer sua segurança na Internet.

Saiba como bloquear temporariamente o PC

seO Windows permite que usuários determinem um limite de tentativas erradas de senha para acesso do sistema e, até mesmo, uma janela de tempo em que o computador fica bloqueado, caso o limite de tentativas de login tenha sido atingido. O recurso é ideal para quem deixa a máquina em locais sujeitos à ação de intrometidos e pode ser uma mão na roda para garantir mais privacidade no uso do PC. O tutorial a seguir ensina como fazer isso na versão Home do Windows 10, mas o passo a passo também funciona nas edições Pro e Enterprise, além de versões mais antigas do sistema.

Antes de começar, é importante saber que não é recomendado interromper esse processo. Dependendo das circunstâncias, é possível acabar com sua conta bloqueada no PC. Só comece se tiver a possibilidade de terminar tudo de uma vez só.

1. Abra o Prompt de Comando em modo administrador;

2. Insira o comando “net accounts”, sem as aspas, e dê enter. Esse comando lista a política de funcionamento das senhas. No resultado, há o campo “Limite de proteção: Nunca”, que se refere ao limite de tentativas de login mal sucedidas em virtude de uma senha errada;

3. Para mudar isso, e colocar um limite de tentativas, você vai usar o comando “net accounts /lockoutthreshold:N”, sem aspas, em que “N” é a quantidade de tentativas que você deseja autorizar antes de bloquear o computador temporariamente. Escolhemos cinco tentativas;

Atenção: Determine a quantidade de forma racional. Não faz sentido colocar apenas uma ou duas, já que você mesmo pode acabar errando a senha sem querer de vez em quando. A sugestão é escolher, no mínimo, três tentativas;

4. Agora é preciso determinar quanto tempo o computador ficará inacessível depois que o limite de tentativas for estourado. Para isso, use o comando “net accounts /lockoutduration:N”, sem aspas, e em que “N” é a quantidade de tempo, em minutos, que você deseja bloquear o PC. No nosso caso, escolhemos 30 minutos;

5. Agora resta determinar quanto tempo leva para o Windows zerar o cronômetro depois de uma tentativa mal sucedida de login. Suponha que seu computador está configurado para tolerar três tentativas erradas e que a janela é de 15 minutos.

A ideia desse comando é criar um mecanismo que permite a realização de duas tentativas e, em vez de errar a terceira, espere uma quantidade N de tempo para ter direito a mais três tentativas. O comando é “net accounts /lockoutwindow:N”, use sem aspas e observe que “N” deve ser substituído pela quantidade de tempo que você deseja usar;

6. Depois de tudo isso, é possível visualizar suas configurações com o comando “net accounts”;

7. Para desligar tudo isso é simples: no Prompt de Comando, com permissões de administrador, insira “net accounts /lockoutthereshold:no”. Você não precisa desligar os outros comandos, já que o valor de 30 minutos é padrão em ambos.

Dell abandona o Android para focar nos Windows “2 em 1”

dell2

A empresa Dell anunciou que, a partir de agora, priorizará os aparelhos com Windows, deixando de atualizar os modelos da linha de tablets Venue que funcionam com Android como sistema operacional. Portanto, a companhia se afastará dos tablets comuns e passará a focar sua atenção aos dispositivos “2 em 1”. “O mercado de tablets está saturado e registrando uma queda na demanda dos consumidores. Por isso, decidimos descontinuar a linha de tablets Android Venue”, anunciou a companhia por meio de um porta-voz.

Além de descontinuar a linha Venue, a norte-americana também não oferecerá mais o Wyse Cloud Connect – computador no formato de pendrive que roda Android como SO e pode transformar um monitor simples em um PC.

A companhia já vinha descontinuando aparelhos com Android de sua linha de produtos, faltando esses dispositivos de agora. Tablet da linha Venue, da Dell, com sistema operacional Android (Reprodução: Android Central) A Dell ainda destacou a alta dos computadores “2 em 1” no mercado da informática. “Estamos vendo o aumento da popularidade dos 2 em 1, uma vez que eles fornecem uma mistura melhor das habilidades de um PC com a mobilidade do tablet. Isso é algo especialmente verdadeiro no ambiente corporativo”, disse o porta-voz.

A partir de agora, a companhia não oferecerá mais upgrades do Android para os tablets Venue, mas garantiu que manterá seu suporte para contratos de serviços e garantias que ainda estejam no prazo de validade. Seguem em linha produtos como os Chromebooks 11 3120 e 13 7310, que funcionam com o Chrome OS, além dos dispositivos com Windows e Linux.

Aprenda a rodar todos os seus app do Android no PC

kopO Koplayer é uma máquina virtual  que pode ser instalada nos sistemas operacionais Windows ou Mac. Baseado no Virtual Box, o que ele faz, basicamente, é rodar o Android 4.4.4 da versão tablet em uma janela no meio da área de trabalho como outro programa qualquer.

A única diferença com a versão nativa para os tablets é que agora o seu dedo é substituído pelo mouse, e sua fluidez irá surpreendê-lo.

A principal vantagem é ser capaz de desfrutar de aplicativos e jogos que normalmente não possuem versão para computador.  Além disso, você pode desfrutar de seus jogos favoritos em uma tela de 23 polegadas, ao invés de jogar normalmente em uma tela de 5.

Com o Koplayer, você pode executar quase todas as aplicações e jogos a partir do Google Play, mesmo Facebook ou WhatsApp. Basta instalar, cadastrar-se com a sua conta e começar a baixar apps do Google Play. Ele tem quase a mesma experiência de um smartphone Android, para que você não se sinta como um peixe fora d´água.

Suporta mouse, teclado e controles para jogos (gamepdad), e tem uma função para gravar a tela com o qual é possível registrar seus games. Você também pode compartilhar arquivos entre o PC ou Mac e a máquina virtual Android e alterar a resolução padrão ou a quantidade de memória RAM utilizada pela máquina virtual.

Instalando Koplayer:

Basta baixar e instalar. Você pode encontrar a versão para Mac e PC no site oficial da Koplayer. Uma vez instalado, dê permissão para se conectar à Internet. Na área de trabalho você tem dois atalhos, um para lançar Koplayer e outro para gerenciar versões Koplayer que tenham sido instaladas anteriormente.

Usando o Koplayer:

kop2O Koplayer é quase como um smartphone, mas tem algumas coisas únicas. Por exemplo, para deixá-la em segundo plano ou abri-lo novamente você só tem que pressionar Ctrl + Atl + W. É possível alterar a resolução da janela em que é mostrado, mas você nunca poderá ter mais resolução do que a sua tela tem, obviamente. Na verdade, o melhor é usar uma resolução máxima no app um pouco menor do que a resolução de seu monitor.

Para alterar a resolução, clique no ícone à direita de minimizar no canto superior direito da janela. Escolha ‘Software Settings’ no separador ‘General’ marque a opção ‘Custom Resolution’ e altere as medidas de ‘Width’ (largura) e ‘Height’ (altura). O ‘Dpi’ (pixels por polegada) pode deixá-los como estão. Quando você terminar, clique em “Save” para salvar para reiniciar o Koplayer.

Alteração da memória RAM:

Em ‘Software Settings’, dentro do aba de ‘Advance’ podemos escolher a quantidade de RAM que você deseja usar. A opção padrão é marcada 1 GB (1024 MB) e há outra opção para 2 GB (2048 MB), mas também podemos usar qualquer outro qualquer valor na opção ‘Custom Memory’.

Eu aconselho a não usar mais da metade da RAM que você tem em seu computador uma vez que, embora Koplayer  apenas use uma máquina virtual, o sistema operacional e máquina virtual também precisam de memória para serem executados.

Gravando a tela:

À esquerda da janela principal, temos várias opções. Para fazer uma captura de tela, basta clicar sobre o ícone que representa uma tesoura e para gravar, o ícone que representa uma câmera. Quando você optar por gravar em uma janela de visualização, escolha os níveis de som, o microfone e pasta do computador onde irá armazenar os arquivos gravados. Para iniciar pressione ‘Start’.

Controles para jogos:

Para alguns jogos você precisa tocar a tela com dois dedos de uma só vez, mas temos apenas um mouse no Koplayer. Uma vez que você começou o jogo podemos configurar os controles de toque na tela com as teclas do teclado. Para fazer isso, clique no ícone à esquerda do teclado ou pressione a tecla F12.

Você será capaz alterar os controles de movimento e outros comandos, bastando clicar sobre eles com o mouse e selecionar uma letra no teclado. Ao terminar de configurar a interface clique em ‘Save’.

Compartilhe arquivos entre seu computador e Koplayer:

Para mover os arquivos do sistema operacional do computador para Android e vice-versa, o Koplayer tem que escolher uma pasta compartilhada no PC que será acessível a partir do navegador de arquivos Koplayer. Para selecionar a pasta, clique no ícone que se parece com uma bandeja.

Escolha a pasta que você deseja compartilhar com Android e, uma vez selecionada, a rota é exibida no browser do Android.

Windows 10 Mobile – Aprenda como descobrir o endereço MAC do celular

w2O endereço MAC do Lumia é uma combinação de caracteres usada para identificar o hardware do celular. Com esse código, é possível controlar o acesso dos dispositivos às redes, definindo quem pode ou não se conectar ao seu smartphone com Windows 10 Mobile. O código vem gravado na memória do telefone, e não pode ser alterado.

Se você precisa saber o endereço MAC de um celular com Windows Phone para liberar ou bloquear o dispositivo, confira como realizar o procedimento. Os passos são os mesmos tanto para novos celulares da Microsoft quanto para os antigos Lumias.

1. Acesse as configurações do Windows 10 Mobile e toque em “Sistema”. Em seguida, toque em “Sobre”.

2. Toque em “Mais informações” e, por fim, localize o item “Endereço MAC”.

A partir de agora, você conseguirá descobrir o endereço MAC do seu Lumia para controlar o acesso de dispositivos à sua rede.